25% dos jovens sentem-se "estressados" ou ansiosos - Núcleo Integrado

25% dos jovens sentem-se “estressados” ou ansiosos

Um estudo realizado com jovens entre os 16 e os 24 anos, no Reino Unido, mostra que a nova geração sente muita pressão relativamente aos resultados acadêmicos, mercado de trabalho e devido a questões financeiras.

Um novo estudo realizado pela consultora Mintel sobre estilos de vida saudáveis conclui que são os jovens entre os 16 e os 24 anos que mais sofrem com a ansiedade diária e o estresse decorrente de várias áreas da vida. O estudo conduzido no Reino Unido indica que são os resultados acadêmicos, a dificuldade de entrar e permanecer no mercado de trabalho e as consequentes questões financeiras são os principais fatores causadores destes sentimentos.

O estresse é praticamente universal nos dias de hoje. Segundo o estudo, 85% dos britânicos sofrem de ansiedade ou de estresse às vezes, com três em cada 10 (29%) dizem que sofrem pelo menos três vezes por semana e 15% indica que sentem-se estressados todos os dias. Mas são os jovens que estão com os mais altos níveis de ansiedade e de stress, pois 25% das pessoas de 16 a 24 anos sentem alguma ansiedade ou stress todos os dias.

Parece que a idade traz um elemento de calma, já que apenas 9% dos maiores de 55 anos dizem que se sentem ansiosos e estressados diariamente e 1/4 (25%) diz que não sente nenhum sintoma de estresse, indica a pesquisa. “Os jovens da Grã-Bretanha sentem-se mais pressionados por vários fatores, incluindo acadêmicos, profissionais e financeiros, e em alguns isto causa ansiedade e estresse diariamente”, comenta Richard Caines, analista senior da Mintel.

Entre as maneiras mais comuns para lidar com este tipo de sentimentos estão: ouvir música (44% no geral e 64% não faixa dos 16-24 anos), caminhar (39%) e comer alimentos reconfortantes (32%), o último aumentando para duas em cada cinco (39%) nas mulheres. No entanto, parece que os consumidores não estão encontrando tempo suficiente para relaxar, pois apenas um terço (33%) diz que tira algum tempo para relaxar todos os dias. E apesar da importância percebida da saúde mental, apenas três em cada 10 (31%) dizem sentir-se estimulados mentalmente todos os dias, enquanto menos de metade (46%) dos consumidores sentem-se mentalmente estimulados ao menos de três vezes por semana.

Na teoria, para controlar os níveis de estresse e ansiedade é preciso: dormir o suficiente (69%), fazer uma dieta saudável (68%) e exercitar-se regularmente (65%) esses  são os três principais hábitos para se manterem saudáveis.

Já na prática não é bem o que acontece, revela o estudo. Apenas um quinto (22%) dos consumidores diz que dorme o suficiente todos os dias. A faixa etária entre os 45-54 anos (14%) é a que pratica menos quantidades diárias de sono suficiente. Apesar de uma dieta saudável ser visto como um importante fator de saúde, apenas um quinto (20%) dos consumidores diz que come cinco porções de fruta ou vegetais diariamente. E quanto ao exercício, apenas 14% dos consumidores praticam alguma atividade física diariamente e 26% diz que os faz entre três e seis vezes por semana.

“Os consumidores têm boas intenções de dormir o suficiente, fazerem uma dieta saudável e exercitarem-se regularmente. No entanto, o que acontece na realidade é uma imagem muito diferente. Esta lacuna entre percepção e realidade é realçada pelo fato de que tão poucos consumidores acreditam que são pouco saudáveis para a sua idade”, conclui o especialista.

Fonte: Regional.pt

Comments are closed.