Oferecemos para Tratamento da Dependência Química um processo que conta com diversas ações, através de uma equipe multidisciplinar:

  • AVALIAÇÃO MÉDICO PSIQUIÁTRICA
  • ACOMPANHAMENTO PSICOLÓGICO
  • AMBULATÓRIO PARA DEPENDENTES
  • PROGRAMA PARA FAMILIARES
  • INTERNAÇÃO

Sabemos que nem todos necessitam de todas essas ações. O tratamento é individualizado, ou seja, planejado de acordo com as necessidades do paciente e da família.

Avaliamos cuidadosamente cada caso para propormos um modelo terapêutico. A grande maioria não precisa ser internada; isso é definido somente após uma minuciosa avaliação.

Modalidade Ambulatorial:

Na maioria das vezes, o tratamento deve começar por encaminhamento para ambulatório, aonde será verificada a possibilidade de desintoxicação e manutenção da abstinência fora de um ambiente protegido.

Como qualquer doença, as internações devem ser reservadas para os casos mais graves. Pelo senso comum estabeleceu-se uma cultura de que tratamento de dependência química é sinônimo de internação, mas hoje, com o avanço dos procedimentos terapêuticos, muitas vezes isso pode significar uma atitude precipitada.

O tratamento ambulatorial é o tipo mais acessível de tratamento, não só pelo seu menor custo, como pelas vantagens que apresenta. Ao contrário do que se imagina, o tratamento ambulatorial, pode ser mais efetivo do que a internação, pois procura manter a pessoa em contato com suas atividades do dia-a-dia. Também é possível desenvolver com o paciente um tipo de atendimento mais longo que inclua reinserção social, prevenção de recaída, etc.

Em qualquer modalidade de tratamento, é importante que a família participe. Para isso contamos com o Programa Familiar e profissionais especializados para esse atendimento.

Internação:

A internação fica reservada aos casos mais graves, que demandam cuidados intensivos. A internação é indicada quando percebemos que existe risco de vida, quando a própria pessoa prefere ser internada para se submeter ao tratamento, quando as tentativas ambulatoriais falharam, quando o jovem não tem uma rede de apoio familiar e social que o ajudará a ficar sem droga.

O período de internação irá variar conforme o caso, podendo ser de alguns dias para desintoxicação a até 6 meses ou mais, dependendo da necessidade do paciente.

Após a internação, retomamos o acompanhamento em ambulatório para manutenção da abstinência e prevenção da recaída.