A caricia que mata

A violência sexual pode acarretar consequências negativas por toda a vida das crianças e adolescentes abusados. O apoio e credibilidade familiar são fundamentais para o combate a este crime e vencer os traumas sofridos.
Compartilhe
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Falar sobre violência sexual é impactante e doloroso em todas etapas da vida. É algo que nos remete a um lugar de total falta de compreensão e impotência perante o adoecimento psíquico de estruturas perversas, e a consequência de seus comportamentos junto ao meio em que vivem.

Esses crimes costumam ser praticados por pessoas que são intimas dos abusados e que também são pessoas traumatizadas e abusadas. Um ciclo vicioso de dor.

São sérios os prejuízos decorrentes dos abusos na infância, causando repercussões psicológicas sérias e irreversíveis.

O abuso sexual, se caracteriza por ter toque ou não, ser verbal ou não verbal, velado ou aberto, e praticado por um membro da família ou mesmo por um estranho ou conhecido, que causou dano a criança.

O fato da violência ter ocorrido uma ou muitas vezes, é sem importância, uma vez que o dano se instala imediatamente.

Pessoas que foram violentadas e abusadas vão apresentar, ao longo da vida, adoecimentos psicológicos e psiquiátricos.

Alcoolismo/Uso de drogas

Uma pessoa que viveu a experiência do abuso sexual na infância pode desenvolver personalidade adictiva como forma de lidar com seus sentimentos de angústia, culpa, vergonha, não aceitação, etc.

Depressão

A depressão é um dos sintomas mais comum para quem foi vítima de abuso sexual.

O sentimento de baixa auto-estima, de não se sentir merecedora de nada bom, faz com que a pessoa mergulhe em tendências depressivas durante anos.

Essa depressão pode levar a outros sentimentos que anulam toda uma vida.

É importante entender que, muitas vezes, pessoas vítimas de violência na infância costumam não lembrar dos fatos, ficando a memória inconsciente, o que leva a uma falta de compreensão do por que da depressão e de outros sentimentos auto sabotadores.

Promiscuidade

Pessoas que foram abusadas costumam buscar relacionamentos autodestrutivos e abusivos.

Oferecem no corpo como forma de receber um pouco de atenção, afeto, amor e carinho. De alguma forma foi aprendido assim.

Culpa

A sensação de culpa pelo que aconteceu pode afetar toda vida de uma criança abusada.

Normalmente a culpa começa pela impotência diante do abuso e do abusador e segue na vida adulta em todas as esferas da vida (profissionais, pessoais e sociais).

Isolamento

Isolar-se das pessoas e do mundo é uma forma de tentar manter-se seguro e preservar sentimentos e emoções. A confiança que foi roubada na infância precisa ser re-estabelecida.

Suicídio ou Automutilação

Existem algumas pessoas que viveram o abuso e pensam, quase que diariamente, em morrer. Talvez não seja o desejo de se suicidar, mas, antes disso, o desejo de morrer para que tudo acabe.

Ela pode passar anos de sua vida desejando morrer. Existem outras que levam esse desejo mais a fundo e, infelizmente, suicidam-se.

E ainda há aquelas pessoas que desejam a morte também, mas, antes de chegar à consumação de um suicídio, promovem a automutilação de seu corpo.

O suicídio é na verdade, o desejo profundo que todas as pessoas que foram abusadas sexualmente na infância têm de ver acabado o seu sofrimento. É uma tentativa desesperada para acabar com a dor e os traumas deixados pelo abuso.

É necessário compreender que, não importa como, onde ou porque aconteceu sua história de abuso, a criança ou adolescente nunca deve ser responsabilizado pela agressão.

O adulto sempre será o responsável em lidar com seus sentimentos e não usar de sua autoridade para sua satisfação sexual diante de uma criança.

Aprender a ver a história sobre esse ponto de vista trará mais auto-estima à pessoa que, aos poucos, vai deixando de lado o desejo de morrer.

Outras Conseqüências

Existem muitas outras conseqüências que o abuso pode deixar na vida de uma pessoa. Falta de confiança nas pessoas de uma forma geral, perfeccionismo, fobias, são alguns outros exemplos que podemos citar.

É muito importante que a família que passou por situações de abuso busque imediatamente tratamento psicológico para família e para criança, oferecendo assim suporte e proteção.

A tomada de atitude no sentido de buscar ajuda já vai fazer a criança ou adolescente se sentir protegido/a, entendido/a e amparado/a.

Por outro lado, a tentativa de manter o fato escondido, tentar manter em segredo a situação, levará a todos os comprometimentos apresentados acima e provavelmente a perpetuação nos comportamentos de violência pelo abusador que ira se sentir protegido pelo segredo e a vergonha da família.

É importante ressaltarmos que o abusador também necessita, e muito, de tratamento psicológico e psiquiátrico.

Texto escrito por Ana café para o portal SESO Notícias

Deixe seu comentário