Agorafobia

Este transtorno é caracterizado pelo medo intenso e angustiante de estar em locais públicos.

A ansiedade agorafóbica se manifesta, principalmente, pelo pensamento de que escapar de tais locais e situações pode ser difícil ou constrangedor, ou de que não haja socorro, caso o indivíduo passe mal ou tenha uma crise ansiosa.

A ansiedade antecipatória é bastante presente nos casos de Agorafobia. A pessoa agorafóbica sofre com a ideia de que possa ter um mal súbito e não receber auxílio, ou que não consiga fugir do lugar em que está. Esse sentimento dá origem aos seguintes comportamentos de evitação:

  • Não sair sozinho de casa;
  • Evitar multidões;
  • Não utilizar nenhum meio de transporte;
  • Não passar por pontes, utilizar elevadores, ou permanecer em lugares altos.

Este quadro pode ser confundido com fobia social e com alguns tipos de fobias específicas, como medo de lugares fechados, assim como apresenta algumas características em comum com o Transtorno de Ansiedade de Separação.

Todos esses quadros são caracterizados por comportamentos evitativos em relação a determinadas situações, por isso é necessário avaliar todos os critérios diagnósticos antes de chegar a uma conclusão.

CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS PARA AGORAFOBIA

De acordo com as recomendações do DSM- V (Manual Diagnóstico e Estatístico dos Transtornos Mentais), os principais critérios para o diagnóstico de Agorafobia são:

  1. Sentimento intenso de medo ou ansiedade, decorrentes de duas (ou mais) das cinco situações seguintes:
  2. Uso de qualquer tipo transporte público.
  3. Permanecer em espaços abertos.
  4. Permanecer em locais fechados.
  5. Ficar em meio a uma multidão.
  6. Sair sozinho de casa.
  7. Os sentimentos fóbicos são desencadeados pelo pensamento de que pode ser difícil encontrar saída ou socorro, ou de passar por constrangimentos em público.
  8. As situações agorafóbicas sempre, ou quase sempre, provocam as mesmas reações ansiosas.
  9. O indivíduo apresenta comportamentos evitativos mediante tais situações, ou precisa de companhia para enfrentá-las.
  10. O medo é desproporcional ao perigo real.
  11. Os sentimentos de medo, ansiedade e esquiva persistem por mais de seis meses.
  12. Os sentimentos fóbicos causam intenso sofrimento e prejudicam o desempenho funcional em diversas áreas da vida do indivíduo.

Comments are closed.